CDI-SP: Inclusão social via inclusão digital – Muito mais do que Orkut + MSN

Nesse final de semana aconteceu o Dia Global do Voluntariado Jovem, e como os blogueiros não poderiam ficar de fora, aconteceu na internet uma ação chamada “Movimento do Blog Voluntário“, com ações voltadas para o combate do Analfabetismo Digital. Aqui no Infoblog você pode achar várias perguntas de internautas e as respostas na seção “Alguém caiu aqui procurando por _ _ _ _ e não encontrou a resposta“.

Blog Voluntário

Para diferenciar um pouco dos posts do Movimento do Blog Voluntário, vou divulgar um trabalho muito interessante do CDI -SP – Comitê para Democratização da Informática aqui de São Paulo. Ao contrário de muitos trabalhos de inclusão digital que se resumem somente ao ensino de Office, Orkut e Messenger, o CDI-SP desenvolve um trabalho de Inclusão Social utilizando a Informática como ferramenta.

“O CDI-São Paulo é uma filial do Comitê para Democratização da Informática, uma organização não-governamental sem fins lucrativos que, desde 1995, desenvolve o trabalho pioneiro de promover a inclusão social utilizando a tecnologia da informação como um instrumento para a construção e o exercício da cidadania.

Atuando na área da Grande São Paulo e entorno, desde 2001, o CDI – São Paulo é responsável por implementar o programa educacional do CDI na capital paulistana através da criação de Escolas de Informática e Cidadania (EICs) em parceria com associações comunitárias, empresas, ONGs, órgãos governamentais e instituições que atendam públicos com necessidades especiais como deficientes físicos e visuais, jovens em situação de conflito com a lei, entre outros, em comunidades de baixa renda.

As Escolas de Informática e Cidadania são espaços informais de ensino, que promovem não só a capacitação técnica em Informática, mas a abertura de novos horizontes para centenas de milhares de jovens através da reflexão e do debate de seus principais temas relacionados à sua realidade social.” (fonte: Site da CDI-SP).

Além disso, o CDI organiza palestras e debates, como o que aconteceu agora em março sobre o que fazer com o Lixo tecnológico.

Para falar um pouco sobre os trabalhos de Inclusão digital do CDI-SP, troquei algumas palavras com a Assistente Pedagógica do Comitê, Kalu Newnton Scrivano (na foto, com a Marília, sua filha).

Jonny – O CDI-SP trabalha com Inclusão Social via Inclusão Digital. Como é isso?
Kalu – As instituições nas comunidades nos procuram para montar o que chamamos de EICs (Escolas de Informática e Cidadania). Daí doamos 10 computadores (que já foram doados por empresas), capacitamos lideranças comunitárias para serem educadores e damos acompanhamento pedagógico.

Jonny- Bem diferente do que eu já vi por ai, onde inclusão digital = Office + MSN + Orkut…
Kalu – Sim, porque se só dermos os computadores a galera sai por aí fazendo o tradicional: aula de word, powerpoint, excel, e nossa proposta é diferente: queremos que as pessoas usem a tecnologia pra conhecer sua realidade. Depois disso, pensar o que querem melhorar nela e por fim, usar a tecnologia para transformar… “Mais do que computadores… conhecimento que transforma”

Jonny – Vocês poderiam fazer isso montando uma biblioteca, um curso EJA (Ensino de Jovens e Adultos), etc. Por que escolheram a informática?
Kalu – Na verdade o CDI nasceu há 12 anos lá no Rio de Janeiro (lugar da matriz até hoje). O cara que pensou o projeto (Rodrigo Baggio, na época, empresário e professor de informática no RJ) queria levar computadores para as favelas e aproximar a galera que na época tinha acesso aos computadores a quem tava nos morros. O trabalho começou na linha do Comitê Contra a Fome do Betinho (que era amigo dele), numa linha “a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte!”. E o computador é tudo isso, não é?

Pessoal recebendo computadores montados com peças arrecadadas no mutirão CDI na rodoviária Tietê – 28/03/2008 (foto: site da CDI )

Jonny – mas ai vocês acharam que Office, MSN e Orkut não seria suficiente para “democratizar” a internet, certo?
Kalu – Na verdade começou como um contato entre dois mundos diferentes. Daí a coisa foi crescendo e o povo do CDI foi percebendo que não adiantava só dar acesso… que isso não mudava a vida daquelas pessoas. Entraram em contato com a pedagogia de Paulo Freire, pedagogia do oprimido, pedagogia da autonomia.

Jonny – Ai reestruturaram tudo…
Kalu – É, resolveram misturar o que o Paulo Freire falava com ensino de informática. Ele falava de leitura de mundo, que não se pode sair da opressão se não houver um conhecimento da realidade. Daí fazemos a leitura de mundo com câmeras digitais, pesquisas na internet, no orkut.

Jonny – Então a inclusão social através da inclusão digital começou quando o pessoal de tecnologia se juntou com o pessoal da educação. Como funciona isso?
Kalu – Primeiro fazemos a leitura de mundo com câmeras digitais, pesquisas na internet, no orkut, etc. Depois os educadores provocam os educandos a pensar em o que tem de bom e de ruim na sua realidade

Jonny – E por acaso vocês já pensaram em tentar passar a realidade que eles vivem e não somente tentar captar? Como incentivar eles escreverem na internet, por exemplo…
Kalu – Quem capta são os próprios educandos, e não nós. Eles fotografam, entrevistam as outras pessoas, anotam coisas e depois transferem para o computador… Editam os textos, os áudios, mexem nas fotos. E assim vão aprendendo a usar os programas… Na lógica do usuário e não de cursos tipo word I, II ou III.

Jonny – Mas como você já disse, o trabalho não para por ai…
Kalu –
Isso mesmo. Depois eles escolhem um problema e aí vem a melhor parte do trabalho. Pensam em ações transformadoras que possam ser feitas com a tecnologia, como um vídeo, uma mobilização pelo orkut, um blog denúncia, coisas do tipo.

Jonny – Fantástico…
Kalu – Quanto a eles escreverem na internet é engraçado… Estamos divulgando muito isso, mas eles ainda estão ensaiando os primeiros passos.

Jonny – Tem alguma coisa online?
Kalu – Tem os vídeos que foram produzidos pelos educadores e educandos no site do CDI-SP – VideoAção. Fora isso temos pouca coisa on line… estamos estimulando que eles façam blogs, mas ainda estão aprendendo…

Abaixo, um dos vídeos feitos pelos educandos- “Tornar Real” – Organização: EIC Creche Arquinha
Equipe: Márcia, Thiago e 25 educandos do programa Agente Jovem

Como continuidade da uma ação iniciada em 2006, o grupo resolveu acabar com o acúmulo de lixo de uma das principais vias da favela Porto Seguro, localizada na zona sul de São Paulo. Mais vídeos no site do CDI-SP )

http://www.youtube.com/watch?v=NJ2znyU0jVw

Jonny – vocês vão para os locais ou as pessoas que procuram vocês?
Kalu – Um pouco dos dois. As instituições nos procuram mas a gente também sai divulgando. Por exemplo, este ano vamos abrir a seleção para sete novas eics agora em maio

Jonny – e qual o perfil das pessoas que freqüentam? classe C, D, E, recém alfabetizados …
Kalu – Principalmente a galera mais de periferia. Temos eics em penitenciárias, em favelas, para moradores de rua, para albergados, para imigrantes latino-americanos e até em uma comunidade rural. Sempre onde existem pessoas que querem sair da sua situação de opressão. Tem um exemplo que acho muito legal e bastante forte

Jonny – Qual?
Kalu – Temos a EIC em parceria com uma entidade que recebe imigrantes latino-americanos, geralmente bolivianos ilegais, que trabalham praticamente como escravos nas oficinas de costura do Brás, Pari, etc. E eles fizeram a leitura de mundo usando internet, revistas, fotos e muito debate. Descobriram daí que um grande problema comum a todos era a questão do preconceito. Então resolveram fazer uma ação transformadora que diminuísse o preconceito. Decidiram fazer um vídeo que mostrasse que os bolivianos e outros imigrantes latino-americanos são pessoas como outras quaisquer e que sonham em melhorar de vida como qualquer um de nós. Isso pra tirar a visão de que são fugidos de seu país, sujos, bandidos… Os educandos montaram juntos o roteiro de um vídeo

Jonny – Muito legal! Tem online?
Kalu – Peraí, a história não acabou!! Filmaram uns aos outros Saíram às ruas e filmaram entrevistas na Paulista, com vendedores de rua. A coordenadora da EIC editou o filme e eles resolveram mostrar no Dia Internacional do Imigrante, dezembro passado para iniciarem o debate.

Jonny – Impressionante…
Kalu – Até aí foi onde eles planejaram… depois veio o melhor… No Dia Internacional umas pessoas do Ministério da Justiça assistiram o vídeo e pediram para usar na capacitação dos policiais federais de fronteira para sensibilizá-los e melhorar o tratamento dos imigrantes…

http://www.youtube.com/watch?v=6743h5R6QBU

Jonny – Bom, e quem quiser participar tanto como aluno ou como voluntário, como fazer?
Kalu – Voluntários? Basta procurar a gente ou a EIC perto de onde você quer. Já educandos tem que procurar uma EIC no seu bairro ou então com a realidade que você deseja… Maiores detalhes em http://www.cdisaopaulo.org.br ou no endereço da CDI-SP – Av Francisco Matarazzo, 102 – Barra Funda, telefone 3666-0911

Jonny – Kalu, obrigado pela entrevista… Mais alguma coisa?
Kalu – Quero só uma contrapartida, hein? Você divulga no seu blog o festival multimídia de ações comunitárias que estamos organizando??

Jonny – Opa! Assim que começar a divulgação, divulgarei no Infoblog! Pode deixar!!!

***********************************

Quem quiser ver todos os posts do Blog Voluntário pode ver na lista que o Sim Viral organizou!

Ps: Existe CDI em outros estados também! Eu estava em Curitiba (Paraná) nessas últimas semanas e encontrei um cartaz dentro do elevador do Shopping Jardim das Américas.

Curso Básico de Informática e Cidadania
Para jovens, adultos e melhor idade.
Windows Word Excel InternetPower Power Point Publisher
Taxa de inscrição: 1kg de alimento Apenas R$10,00 o módulo

Matrículas abertas: 15/04 à 16/05

Local: Shopping Jardim das Américas – 2º Andar
Horário: 8:00 às 12:00, 13:30 às 17:30 e das 19:30 às 12:30
Telefones: (41)3266-7733 ou (41)3366-5885 ramal 249

Aproveite a oportunidade!
Vagas limitadas

4 thoughts on “CDI-SP: Inclusão social via inclusão digital – Muito mais do que Orkut + MSN

  • 28/04/2008 at 6:16 pm
    Permalink

    Bastante legal! Foi para o CDI de Brasília que doei minha impressora no fim do ano. É bom ver que tem gente séria, que faz mais do que simplesmente receber verba do governo.

    Eu não conhecia o trabalho do CDI… gostei muito. Bem melhor do que inclusão digital orkut + msn. E eu descobri na hora de fazer o post que eram eles um dos responsáveis pelo projeto de distribuyição de computadores usados que teve recentemente no Tietê e que eu achei muito legal na época!!!

    Pretendo participar mas dos eventos sempre que tiver um tempinho livre…

  • 28/04/2008 at 11:33 pm
    Permalink

    Legal esse post Jonny… tem meio que a ver com o que postei no meu blog, para a campanha, falando de analfabetismo funcional digital. Se interessar dá uma procurada na minha bagunça que vc encontra hahaah.. Mais bem legal o trabalho do CDI… não conhecia, mas agora passo a admirar.

    Opa!!! vou ler sim!!!

    Acredito que analfabetismo digital funcional afetam aquelas pessoas que sempre usaram Word 2003 e ao se depararem com o Word 2007 simplesmente travam… Isso não é ruim, só é a falta de capacidade de fuçar…

    Eu sofro disso as vezes, mas quando a mudança é mais radical (do photoshop para o guimp, por exemplo)

  • Pingback: Infoblog » Algumas coisas úteis para se fazer no Orkut

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *