RFID Parte 1 – O que é, para que serve

Você já ouviu falar em RFID? Não? E para que serve? Não tem a menor idéia?

Pois é… Você e todas as pessoas para quem eu me apresentei até hoje! Sempre quando me perguntam com o que eu trabalho, eu respondo “Trabalho com TI em uma firma especializada em RFID”. A pessoa pode nem saber o que é TI, mas sempre pergunta “RFID? O que é isso?”.

RFID (lê-se ÉRRE-ÉFE-I-DÊ, assim como DNA ou IBM) vem de Radio Frequency IDentification. Resumindo: Identificação via rádio frequência.

Acredito que todo mundo já viu código de barra e sabe para que ela serve. E eu tenho certeza que todo mundo já teve problemas com código de barras, principalmente em livrarias ou em supermercado. Você fica girando o produto até o leitor conseguir identificar o código impresso na etiqueta.

Grosseramente, o RFID faz a mesma coisa: Você mostra um chip a um leitor e ele lê o código gravado dentro dele!

Etiqueta RFID

[crédito] Tag RFID

Só que existe várias vantagens do RFID em relação ao código de barras. Primeiro que não existe necessidade de contato visual entre o leitor e o TAG (conjunto do chip + antena que carrega o código). Resumindo, você não precisaria ficar rodando o livro até o leitor achar o código de barras. Com o RFID, você simplesmente aproximaria o livro e ele já saberia o código.

Outra vantagem é a distância de leitura. O cartão magnético necessita de contato entre a tarja e a cabeça do leitor. O código de barras possui uma distância bem baixa, uns 5 a 10 cm. Já com RFID eu já vi leitores identificar tags passivos (sem bateria) a uns 5 metros de distância.

Tarja magnética: Distância ZERO

Tarja Magnética – Necessita de contato da cabeça com a parte magnética

Resumindo, o RFID serve para você identificar códigos contidos dentro de tags (chips com antena). Só que a aplicação disso é praticamente infinita!

Com o tempo vou falando mais um pouco para você ir conhecendo esta tecnologia interessante! Enquanto isso vou deixar vocês com essa animação que eu fiz (sim, sou eu no desenho)

[kml_flashembed movie=”http://www.jonnyken.com/infoblog/wp-content/controle_de_acesso.swf” height=”300″ width=”400″ /]

Ps: Quem pega ônibus em São Paulo já pegou em um bilhete único. Ele é um ótimo exemplo de RFID. (retirado do site da Prefeitura de SP)

Bilhete único

Ps2: O texto da Wikipédia sobre RFID é extremamente completo e em português. Para quem quiser se aprofundar mais sobre o assunto, vale a pena dar uma olhada.

6 thoughts on “RFID Parte 1 – O que é, para que serve

  • 23/07/2007 at 9:36 pm
    Permalink

    Nossa! Um artigo completo na WIkipédia em Português?!?!? Por isso que está chovendo demais por aqui…. Depois que vi que a WIkipédia em Português não tinha um artigo sobre a Kibon e a em Inglês tinha, desisti da versão em português…

    [Nota: Agora tem o artigo sobre a Kibon, eu que traduzi 🙂 ]

    E o bilhete único, apesar de ser um tipo de RFID (Identificação por rádio-frequência), não obedece ao padrão RFID, é na verdade um SmartCard sem contato. Um leitor de RFID não vai ler ele.

    Mas isso não faz diferença pra ninguém, só comentei porque é curioso o fato dele ser RFID e não ser RFID.

  • 24/07/2007 at 12:07 am
    Permalink

    É que existem diversos padrões de RFID. De baixa freqüência (125kHz), Mifare, UHF, etc…

    O Bilhete único é um cartão Mifare (que é um padrão desenvolvido pela Philips). A vantagem dele é que tem criptografia, memória para dados, etc e tal. Mas não deixa de ser RFID.

    Vou falar sobre isso no próximo tópico, que são os padrões :).

    Mas você não está totalmente errado! sempre quando falamos somente “leitor RFID” entende indiretamente como leitores de baixa freqüência. E realmente esses leitores não conseguem ler cartões mifare (como o bilhete único)

  • 24/07/2007 at 9:23 pm
    Permalink

    Boa Noite…

    Show de bola o seu artigo sobre RFID.

    Estou no aguardo do próximo.

    Parabéns

  • 09/10/2007 at 2:11 pm
    Permalink

    Me envie mais informações sobre para que serve o RFID e como funciona, pois dou aula de logistica integrada e quero saber mais a respeito, pois vou dar TI.
    Como uma linha de produção de uma industria pode usar RFID? dê mais exemplos!

  • 23/03/2008 at 5:21 pm
    Permalink

    Jonny, se possível envie mais dados sobre RFID.
    Estudo eletrônica e pretendo apresentar o TCC
    baseado nessa tecnologia.
    Coisa simples, apenas abrir uma tranca elétrica
    com um cartão a uma distâcia aproximada de um
    metro.
    Desde já agradeço.

  • 02/04/2008 at 10:44 am
    Permalink

    Gostei muito de sua animação do controle de acesso. Foi voce mesmo que fez? Estou curioso para saber como foi feito

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *