AMD 2011 – Nova linha de processadores Vision, APU e processamento em GPU

Meus últimos processadores – Um Pentium D que comprei em 2004 (acho) e um AMD Phenon II, comprado em 2010

Tem poucas coisas que eu sou um usuário fanboy. E com certeza marca de processador não é uma delas. Desde o meu primeiro IBM Aptiva Intel 486, sempre que troquei de computador, alternei entre processadores Intel X AMD e nunca tive problema com nenhum deles. Inclusive em Notebooks – meu penúltimo foi um Intel Toshiba e o último, um AMD Compaq.

Como sempre fui em eventos da Intel, fiquei super feliz em ser convidado para o primeiro encontro de blogueiros com a AMD (não sei se foi o primeiro, mas foi o primeiro que fui chamado – #mimimi), onde eles mostraram a nova linha e a nova estratégia para venda de processadores em 2011. Embora não goste muito de falar de produtos que eu não tenha testado, acho que a estratégia de vendas é algo interessante para ser comentado.

Adeus ao personal geek


Quem daqui já teve problemas na hora de escolher um computador? Existem tantas marcas e modelos no mercado que fica complicado de comparar eles entre si, principalmente para quem não é expert no assunto. Um computador mais caro não significa que ele é mais rápido, ao mesmo tempo que o mais barato não necessariamente é uma carroça. E mesmo porque, nem sempre precisamos pagar pelo modelo mais caro só para navegar na internet ou editar um documento no Word.

Pensando nisso, a AMD resolveu condensar toda a linha de processadores em somente 3 modelos:

Vision (só) – Ideal para quem pretende usar o computador para ver vídeos on-line (Youtube), DVDs,  fotos, para enviar e-mails, navegar na internet e ouvir músicas. Provavelmente o uso da grande parte dos usuários.

Vision Premium – Processador ideal para quem pretende assistir vídeos em Blu-Ray (full HD), converter áudio e vídeo, jogar e usar webcam.

Vision Ultimate – A escolha ideal  para editar filmes, músicas, fotos e para rodar jogos 3D.

No site americano, existe uma outra faixa de processadores chamado Vision black, que em poucas palavras, significa “fazer tudo o que foi descrito acima com a melhor qualidade possível”.

A idéia é muito boa, mas acho que vale alguns questionamentos que me veio enquanto escrevia este post:

(Ps: Recebi as respostas, dadas pela Letícia Oliveira, do departamento de Marketing da AMD)

1-  Essa divisão só fará sentido se a loja tiver algum funcionário ou material publicitário para explicar isso. Será que toda essa campanha será acompanhado desse material informativo ou treinamento dos funcionários? Afinal fica difícil saber pelo nome se Premium é melhor que Ultimate…
Excelente ponto!!! Sim, estamos estrurando a nossa equipe de promotores onde serão responsáveis por fazer treinamentos aos vendedores e fazer a execução de materias nos principais pontos de venda. E com certeza destacaremos que o ultimate é melhor que o premium.

2- Existem dezenas de velocidades de processadores que foram condensados em 4 linhas, ou seja, provavelmente existirão “Vision Premium simples” e “Vision Premium top”. Como o consumidor poderá saber se não estará levando o “simples” pelo preço do “top”?
Mais um excelente ponto! A AMD como uma empresa visionária e inovadora esta atenta as evoluções e já está se preparando para o que vier nos próximos meses.

3- Segundo a Lei de Moore (que na verdade é mais uma profecia que uma lei em si), a velocidade dos processadores dobram a cada 18 meses. Porém é muito comum encontrar modelos antigos de notebook a venda no mercado. Como acontecerá daqui para frente? Um modelo Visio Ultimate de hoje cairá de status para um Vision Premium  no futuro? Será que isso não fará com que consumidores levem produtos teoricamente ultrapassados achando que estarão comprando um top de linha?
O VISION, VISION premium e VISION ultimate foram classificados conforme a necessidade e perfil dos consumidores. O consumidor em sua grande maioria desconhece as especificações técnicas e optam por soluçoes conforme seu uso, com este objetivo a AMD criou o VISION.

(as respostas provavelmente virão no próximo post…) feito

Outra coisa que me chamou a atenção foi a tecnologia Fusion, que fundiu o processador (CPU) o chipset e o chip de vídeo (GPU) em um único componente, a APU (Accelerated Processing Unit ou Unidade de processamento acelerado). Segundo a AMD, um dos principais gargalos no processamento é a troca de dados serial entre a CPU e a GPU.Na APU a troca de dados acontece em serial e paralelo, aumentando a velocidade de processamento tanto nos cálculos matemáticos, quanto na geração das imagens.

Outro assunto, dessa vez um pouco mais antigo (tá, nem tão antigo assim, de 2009) que foi abordado e que deixou o público (inclusive eu) bastante impressionado com os resultados exibidos foi o processamento em GPU, ou seja, jogar parte do trabalho do processador no chip da placa de vídeo. O que me deixou impressionado foram os valores alcançados por esse intercâmbio de trabalho, levando a pergunta clássica: “Se a caixa-preta é indestrutível, por que o avião não é feito do mesmo material?” – ou nesse caso: “Se é a GPU é tão rápida assim, por que não fazem um processador com a tecnologia das placas de vídeo?”

Alguns dados fornecidos pela AMD que são bastante impressionantes:

*Raedon HD 5970 é uma placa de vídeo (GPU).

Tempo para “ripar*” um Bluray para assistir em um celular, usando somente CPU:

Uso de CPU: 100%
Uso de GPU: 1%
Tempo para realizar a tarefa: 1h 52m
Pico de consumo: 145W
Energia consumida: 0.23kW/h
U$ da energia consumida: $0.15

Tempo para “ripar*” um Bluray para assistir em um celular, usando processamento compartilhado CPU+GPU:

Uso de CPU: 45%
Uso de GPU: 35%
Tempo para realizar a tarefa: 26m
Pico de consumo: 198W
Energia consumida: 0.11kW/h
U$ da energia consumida: $0.07 ($0.15)

*ripar: pegar um filme em DVD ou Bluray e passar para outra mídia.

Além da melhora da velocidade de processamento, outra vantagem é na qualidade de descompressão de vídeo. Com algorítimos cada vez mais complexos, poderemos simular exibição filmes de um DVD (480 linhas, com 8GB) como se fossem Blurays (1024 linhas com 50GB). Isso será ótimo para transferências de vídeo pela Internet, onde a velocidade de banda no Brasil é o principal fator limitante na popularização de vídeos na internet.

(Pessoalmente, no telão achei a imagem do DVD simulando Full HD meio pixelado demais (como uma imagem sem antialias), mas era um projetor, então não tenho como afirmar a qualidade com muita certeza).

Em breve tentarei arranjar um computador com uma placa de vídeo ATI Raedon ou uma APU para fazer esse teste. Pelos exemplos ao vivo deu para ver que esse ganho é bem interessante, mas vamos ver como ele sairá na prática.

PS: As perguntas foram encaminhadas para o responsável da AMD pela apresentação, Roberto Brandão. Em breve publicarei as respostas.

Ps2: Eu tinha feito esse vídeo faz um tempinho, mas resolvi subir agora porque acho que tem a ver com o assunto. Feito especialmente para quem reclama do barulho do cooler nos processadores AMDs.

Outros blogueiros que estiveram presentes ao evento:

@anarina – meu conhecimento apurado de tecnologia

@samegui – Selos para facilitar a vida do geek #AMDvision

@tecnoblog – AMD Vision: selos para facilitar a vida do geek

@rafaeldesign – AMD Brasil apresenta: AMD Vision e a primeira APU

@jaderfranca– AMD Vision: Os selos que prometem facilitar a vida do consumidor

@richardmax –  AMD muda a forma de apresentar seus produtos, facilitando o consumidor

4 thoughts on “AMD 2011 – Nova linha de processadores Vision, APU e processamento em GPU

  • 25/03/2011 at 2:13 pm
    Permalink

    Valewww Jonny por linkar a minha matéria sobre a Amd Vision do meu blog. Eu realmente gostei muito do bate-papo e acredito que a partir de agora a AMD está ainda mais focada no consumidor final.

    Abraço!

  • Pingback: Selos para facilitar a vida do geek #ADMvision | @avidaquer | A Vida Como A Vida Quer by @samegui

  • 11/12/2011 at 11:03 pm
    Permalink

    A amd foi sempre um fracasso ,a maior parte os pc queimava,ou os processadores queimava,a aquecia muito , consumiam muita energia
    Os novos são um pouco melhorados com o sistema copiado pela intel.
    Ainda pode acontecer o mesmo que acontecia antes.
    Mas para quem quer um pc amd pode usar para estudos.ou internet,jogar,mas não se esquecem pode
    acontecer o mesmo que aconteceu comigo.
    Já tive 3 computadores amd ,e queimarem ao jogar muitas horas( 12/ 24 horas),não aguenta muitas horas de jogo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *